Saia do balde que lá vem o chute (Jair Bolsonaro)

O candidato JAIR BOLSONARO discursou pelo celular, neste final-de-semana, para grupos de apoiadores em todo o Brasil. Hoje, blogs e jornais estão opinando e, pelo que tenho lido, estão fazendo-o de forma emocional, sob o efeito da fala dele. Leia aqui um dos motivos:



(assista ao video e leia a transcrição completa em Folha de São Paulo)

O PROBLEMA

Qualquer boa narrativa começa com uma definição do contexto: local, época e quem são os personagens. Um discurso eficiente começa da mesma maneira. Quando o contexto não é bem definido, a pessoa que escuta irá criar, por conta própria, as informações que faltam. Por isso, se você pretende atacar alguém com o seu discurso, é bom esclarecer, o quanto antes, quem é o seu alvo! Faça isso ou poderá atingir a pessoa errada.

O Bolsonaro começa com:
  1. "Perderam ontem, perderam em 2016 e vão perder na semana que vem de novo."
  2. "Essa turma, se quiser ficar aqui, vai ter que se colocar sob a lei de todos nós. Ou vão pra fora ou vão pra cadeia."
  3. "Esses marginais vermelhos serão banidos de nossa pátria."
Na primeira frase, quem são eles que "perderam"? Na segunda frase, quem faz parte da "turma"? Na terceira, quem são os "vermelhos"? Ou seja, de quem especificamente ele está falando?

Eu entendi, do discurso inteiro, que o candidato queria falar somente dos membros do PT que participaram dos governos anteriores, acusando-os de "roubarem do povo". Porém, como faltou especificar*, é provável que a fala tenha atingido um número muito maior de pessoas, incluindo meros simpatizantes da esquerda, pessoas das quais ele também gostaria de obter votos.

A SOLUÇÃO

Resolve-se isso sendo bem específico logo no início. Uma possibilidade seria dizer, simplesmente:

"Vou dizer algumas coisas aqui para os membros do PT que estiveram no governo e que roubaram todo o povo brasileiro, roubaram tanto dos que votaram quanto dos que não votaram neles."

Imagine o Bolsonaro fazendo isso e perceba como o entendimento global é afetado.




* nota: na Programação Neurolinguística, chamamos essa falta de especificidade de Falta de Índice Referencial, que é uma Violação do Metamodelo.
-------------------------------------
* O TEXTO ACIMA, ASSIM COMO OUTROS TEXTOS DO BLOG, NÃO REPRESENTA A MINHA OPINIÃO OU JULGAMENTO EM RELAÇÃO AO TEMA OU AUTORES. ANALISO SOMENTE O FORMATO DO DISCURSO, NÃO SEU CONTEÚDO. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O FASCÍNIO PELO BOLSONARO

JOÃO ADEUS?